home meus ask submit

Só se pode viver perto de outro, e conhecer outra pessoa, sem perigo de ódio, se a gente tem amor. Qualquer amor já é um pouquinho de saúde, um descanso na loucura.
- Guimarães Rosa

E é assim…
Não tem porquê
E não há um porquê,
Você simplesmente ama.

2038km.  (via sou-inseguro)

Seu amor cai sobre mim
Como confetes,
Como pingos de chuva delicados,
Como lantejoula,
Como flores
Que caem no outono.
Cai sobre mim,
Sobre nós
Enquanto dançamos
Ao anoitecer,
Enquanto as estrelas explodem
Espalhando nosso amor
Pelo universo,
Enquanto a lua retém a luz que temos,
Enquanto as folhas caem
Como nosso amor
Caindo sobre nós
E florescendo mais e mais…

J. de Just a piece of the moon

Quando a dor chega fecho os olhos e me jogo no precipício da saudade, porque você é digno de toda a saudade do mundo, merece que eu sinta a dor da tua falta. Agora é a minha vez de sofrer por você e me sentir falida pelo meu amor vencido. É minha vez de ser escrava da solidão como você foi mesmo comigo ao seu lado. Eu jamais fui digna do seu sofrimento mas você sempre acreditou no inverso. Agora você vê que eu tinha razão quando dizia que não sou merecedora do seu puro e doce amor. Agora eu me ajoelho e choro baixinho pedindo pra você voltar, mesmo sabendo que aquela porta nunca mais vai se abrir e não terei o prazer de pular em seus braços e te agarrar com mais sede do que nunca. Eu mereço essa dor, esse vazio, esse arrependento. É o que eu mereço por não ter me colocado a altura do seu divino amor.

J. de Just a piece of the moon, “Viúva do teu amor”

Lá vou eu, mentindo para te esquecer, agindo como se eu fosse alguma coisa sem você. Sempre fui uma ótima mentirosa, você sabe, mas mal pode imaginar quantos absurdos já inventei insanamente. Essa é só mais uma das farsas, mais uma parte de um eu que não existe. Tenho negado insistentemente a sua falta alegando que vivo melhor sem ti, mas como posso existir longe dos teus abraços? Como posso respirar longe do seus beijos? Como posso viver longe dos seus carinhos? Como posso encontrar paz no seu silêncio? Não há um eu sem que haja você para me amar, me mimar, me enxergar, me viver. E não tenho nada além de você, não posso continuar a fingir que existe vida sem você. Meu coração grita por ti, tão alto que me ensurdece e me faz acreditar nas minhas próprias invenções. Eis aqui a verdade; estou morrendo sem a tua metade.

J. de Just a piece of the moon

E eu achei que sofreria sem você, querido
Sofrer eu sofria a teu lado
Agora que a liberdade me tomou nos braços
Me jogo do penhasco e voo como um pássaro
Sem você estou liberta para ser eu mesma
Não uma porcelana dada aos seus caprichos
Sem você floresço como margarida, saio do meio das pedras e impero a beleza em meio aos pedregulhos
Como ousei um dia chamá-lo de vida?
Vida estou vivendo longe da sua sombra,
Longe da pressão da perfeição,
Longe dos padrões mesquinhos,
Longe das palavras miúdas.
Eu renasci de uma alma cinzenta
Como tinta colorida espirrando no papel
Explodindo como uma estrela
Sem você, meu amor, aprendi o que é viver.

J. de Just a piece of the moon

Vou ficar só aqui, assistindo as cores brilharem repetidamente, a noite inteira, o dia inteiro, o ano inteiro. Ficar admirando as cores que perdi no estreito caminho da vida, as cores que escorregaram pelos meus dedos nos inacabaveis dias de chuva forte, me tornando uma postura de um branco envelhecido e morbido atrás da porta do quarto, em uma cama como se fosse o unico esconderijo do mundo, apegada aos cobertores como um refúgio sem escolha, a espreita do sol, longe do céu estrelado ou qualquer coisa genuinamente luminosa, distante demais de qualquer luz no fim do túnel.

J. de Just a piece of the moon

Ela era um ano mais nova, bem mais jeitosa, e eu por um instante desejei ser como ela. Desejei caber inteira no meu corpo, me sentir proporcional, me sentir cheia, mas a verdade é que sou menor que o meu corpo, por isso me invergo toda, me curvo, me encolho. Meu corpo parece bem mais pesado pelas tralhas e poças lamacentas que tem aqui dentro, minhas proporções são pequenas e fracas demais para sustentar meu peso todo. Estou sempre desconfortável, aonde quer que eu esteja, sempre parece que meu corpo é um fardo que eu gostaria de não carregar. E a garota da livraria? Eu mal a olhei, mas ela cabia dentro do próprio corpo, e eu carregava um do qual não conseguia preencher.

J. de Just a piece of the moon

Perdi as chaves, esqueci as horas, deixei o café esfriar. Fiz as malas cega de dor. Por onde andei? Meus pés sangram, meu corpo gela, meus olhos procuram uma explicação, um caminho, um motivo. Quanto mais triste, mais feliz. Até onde vai a felicidade da tristeza? Vou matando quem queria me salvar, correndo desesperadamente pros braços da angustia pensando assim ser feliz. Mergulho hipnotizada no poço da doença. Lá vou eu me afogar de novo, me suicidar por puro prazer, me despedaçar e remontar por pura diversão, ignorando as lágrimas ao redor.

J. de Just a piece of the moon

Sinto que nunca mais terei aquela sensação de segurança dentro dos seus abraços, nunca mais poderei arrancar a armadura diante dos teus carinho, jamais mostrarei meus cortes pra você cuida-los, jamais poderei fechar os olhos e sentir seu amor me rondando e acalentando enquanto lentamente caio no sono. Nunca mais serei tomada por você, terei minhas dores curadas, meus medos afastados e meus problemas vencidos pelo poço maravilhoso do seu amor. Jamais mergulharei tão profundamente em águas tão doces, quentes e perfumadas. Jamais terei você de volta aos restos estilhaçados da minha vida.

J. de Just a piece of the moon